Já pensou nisso?

sábado, 17 de maio de 2014 | 07:44

Até que ponto os problemas podem ser resolvidos por quem de fato deveria resolvê-los? Essa pergunta me ocorreu por estes dias e resolvi dividir com você, leitor. Às vezes tento inocentar os chefes do Executivo tentando descobrir por quê eles são literalmente culpados de tudo. Ou quase tudo. É simples, quando antecede um período eleitoral as promessas são muitas, mas as soluções poucas. Será que é mais fácil falar do que agora? Será que para conquistar devemos falar o que as pessoas querem ouvir? Será que ser sincero prejudica a relação entre as pessoas? Qual a punição que deveria existir para as pessoas que se comprometem e não cumprem? Caberia uma análise sobre esses aspectos, porém o que é conceitual não pode ser desrespeitado. Sempre procuramos promover mudanças que podem favorecer a todos e nunca sabemos por onde começar. Simples, agora. Se temos uma Constituição que promove direitos e deveres, por quê patinamos para crescer uma nação tida como próspera? Hoje nos jornais vejo uma bateção de cabeça entre nomes do primeiro escalão do governo federal, Mantega e Mercadante, no quesito inflação. Um fala que existe e o outro tenta reverter a existência. E nós, população, que vivemos diariamente com ela, temos a certeza que a inflação existe sim, só o governo que não vê. No Estado de São Paulo o principal reservatório de água, conhecido como Cantareira, está diariamente em queda no nível de abastecimento. Novidade isso? E quem vai pagar por essa falta de planejamento? Agora chego à região metropolitana ou baixada santista como assim é mais conhecida, os problemas são metropolitanos, porém as soluções não acompanham o quadro. Tente pegar um ônibus em Bertioga para visitar sua tia que mora em Peruíbe. Quantas conduções serão necessárias? E o tempo do percurso? Esse é apenas um exemplo. Será que não está mais do que na hora de sermos mais francos uns com os outros? Afinal, quem engana também acaba sendo enganado. O problema maior é continuarmos sempre de pires na mão enquanto muita gente, há muito tempo, é servida por um belo banquete. E olha que esse banquete é para poucos. Até quando?

3 Comentários

Postado por
Categorias: Blog

3 Comentarios em "Já pensou nisso?" Adicionar Comentário
wilson caetano de araujo
19 de maio de 2014 at 13:04

Meu amigo Douglas!!! Concordo plenamente com você, mas só tem um problema em todo seu contesto… a população.
Se tiver a oportunidade de estudar, não vai! ter que sair de casa, deixar a novela o amigo no bar… ora do não dá!!!
Tem alguma bolsa governo, ótimo! Fica atento para não perder, cuidado… não vai trabalhar com registro senão perde ela.
Opa! Achou alguém que vende aquele DVD por $5,00 e faz 3 por $10,00 este é o cara. Já tem filme pro final de semana.
Vai na farmácia daquele amigo que vende sem receita e ainda dá um descontinho maior que as grandes redes? Tem um amigo na CET que quebra aquela multinha básica?
Esse é o brasileiro que acaba fazendo a diferença na hora do voto e que elege o que esta aí. Infelizmente!!! Precisamos de muita consciência, muito empenho das pessoas formadoras de opinião para um dia podermos, pelo bem, pelo voto, mudar esta situação.

Douglas Gonçalves
19 de maio de 2014 at 21:11

Amigo Wilson Caetano, vamos fortalecer este movimento de conscientização das pessoas, pois é ano de eleição. Vejo que a participação da população nas galerias da Câmara ainda é muito tímida, e isso é reflexo do comportamento daquele eleitor que não acompanha de perto o trabalho do seu representante e muitas vezes cobra uma ação sem base ou conhecimento. Tivemos exemplos de mobilização em massa nas ruas em todo o País e não podemos deixar essa sede por mudança acabar. Forte abraço!

Márcia Gavioli
18 de maio de 2014 at 14:56

Simples caro nobre vereador. Prometer e cumprir assim como você tem feito.

Deixe uma resposta

Validar * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.