Deputados dizem não à idade de 65 anos para aposentadoria

domingo, 26 de fevereiro de 2017 | 17:00

A primeira semana de debates na Câmara Federal sobre a reforma da Previdência foi bastante agitada. A presença de sindicalistas e trabalhadores de movimentos sociais, que fizeram uma marcação corpo a corpo junto aos deputados pedindo a não aprovação do texto da reforma, tornou o clima tenso, antes, ­durante e após as audiência ­públicas sobre o tema.

Se depender de 349 dos 513 que compõem a Câmara Federal, a idade de 65 anos para as aposentadorias, conforme prevê o texto do Governo, não será aprovada. “Acabamos de dizer não à idade de 65 anos para se aposentar ao protocolar uma emenda que prevê idade de 60 anos para os homens e 58 para as mulheres”, disse Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP), bem na entrada do plenário 2 da Câmara, em meio ao assédio de sindicalistas e trabalhadores rurais.

Ele disse que o número de assinaturas é maior que a metade do número de deputados e que por isso mesmo o Governo vai ter rever seu texto para não sofrer uma dura derrota. “Essa foi só a primeira emenda, estamos preparando outras para tornar o projeto menos nocivo aos trabalhadores e aposentados”, explicou o parlamentar.

Faria de Sá e o deputado sindicalista Paulo Pereira da Silva(SD/SP), Paulinho da Força Sindical, lideraram o movimento de coleta de assinaturas e tiveram todos os holofotes voltados para eles no momento de protocolarem a emenda.

Fonte: Diário do Litoral

0 comentário

Postado por
Categorias: Notícias

Nenhum comentário. Seja o primeiro!
Deixe uma resposta

Validar * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.