“Ele foi um herói”, diz passageira sobre motorista de ônibus que pegou fogo

domingo, 1 de outubro de 2017 | 12:07

José da Silva, o motorista que ficou ferido após o ônibus que dirigia ser alvo de vandalismo e pegar fogo na tarde de sábado (30), na Zona Noroeste de Santos, “foi um herói”. A afirmação é da estudante Karen Lopes Damasio, de 28 anos, uma das passageiras que estava na linha 191 do coletivo da Viação Piracicabana, que ficou parcialmente destruído após um rapaz incendiar o veículo.

Karen conta que toda a ação ocorreu por volta das 16 horas, quando o ônibus trafegava pela Avenida Nossa Senhora de Fátima, uma das principais e mais movimentadas da Cidade. “Deram sinal e o motorista parou no ponto. Entraram três pessoas. Uma delas passou e uma moça estava pagando a passagem para o motorista quando um rapaz que estava atrás jogou gasolina e logo depois já ateou fogo. Tudo começou a queimar muito rápido”.

A estudante conta que, mesmo em chamas, o motorista deu o comando para que as portas traseiras abrissem e os passageiros pudessem sair do veículo. “Ele chegou a descer do ônibus depois disso, mas quando viu que uma passageira estava presa na catraca ele voltou para ajudar e tentar tirar ela dali. Essa ação durou uns 15 segundos, mas ele continuava pegando fogo. Ficamos desesperados. Se não fosse por ele, as pessoas iriam se ferir gravemente”.

Apesar da atitude heroica do motorista, Karen reclama das portas do coletivo, que demoraram a abrir. “A gente viu que ele abriu a porta, apertou o botão, mas demorou para conseguirmos sair. As portas estavam com problema. Demorou uns 10 segundos. As pessoas ficaram aglomeradas se empurrando, foi um momento de pânico”, relata.

Depois que o susto passou, Karen gravou um vídeo, quando havia apenas fumaça saindo do veículo. “Resolvi colocar o vídeo nas redes sociais pra mostrar o quanto esse motorista foi corajoso. Ele foi um herói”. Veja abaixo as imagens:

Passa bem

Apesar dos ferimentos, o motorista, de 60 anos, que está internado no Hospital Santa Casa de Santos, passava bem na manhã deste domingo (1º), menos de 24 horas após o susto. De acordo com a esposa, Josefa Piedade da Silva, as queimaduras mais sérias são as dos braços e das mãos, que tiveram contato direto com o fogo.

“O médico falou comigo, (disse que) são queimaduras de 2º grau. Mas eu já o vi, já conversamos e eu sei que ele é forte e logo estará recuperado”.

Josefa conta que o rosto do marido, apesar de não estar marcado com queimaduras, também foi afetado pelo calor das chamas. “Isso está incomodando bastante, ele diz que é muito desconfortável. Como ficou um bom tempo exposto ao calor, até agora a pele está sensível”.

Silva ainda não tem previsão de alta. A moradora da Vila Fátima, em São Vicente, lamenta a situação e a falta de segurança. “A gente fica triste, né? Porque você sai para trabalhar e acontece isso. Acham que podem tirar a vida dos outros de graça. Estamos na mão dos bandidos”.

Em nota, a Viação Piracicabana confirma que um indivíduo “ateou fogo no coletivo” e que o ato de vandalismo atingiu o motorista, que sofreu queimaduras e está internado, recebendo os cuidados necessários. A empresa afirma ainda “que está realizando todos os procedimentos internos em relação ao acidente”.

* Colaborou Isabel Franson

Fonte: A Tribuna

0 comentário

Postado por
Categorias: Notícias

Nenhum comentário. Seja o primeiro!
Deixe uma resposta

Validar * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.